quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

4a Viagem de moto de Vitória a Porto Alegre - Estatísticas

Roteiro da ida: 2401 km com paradas em Caxambu/MG, Registro/SP e Lages/SC


Roteiro da volta: 2394 km com paradas em Joinville/SC, Itu/SP e Itaipava/RJ



Motocicleta: BMW F800R 2013
Odômetro inicial: 21991
Odômetro final: 26880




Distâncias e tempo:

Dias de pilotagem: 8 dias (4 na ida, 4 na volta)
Distância total percorrida: 4889 km

Distância média diária: 611 km
Tempo de pilotagem por dia: 10 a 11 horas

Combustível:

Custo em combustível: R$  943,70
Consumo total: 221 litros de gasolina
Consumo médio: 22,12 km/l
Preço médio da gasolina: R$ 4,26
Maior preço da gasolina: R$  4,80 (RJ)
Menor preço da gasolina: R$ 3,90 (SC)

Hospedagem:

Custo total em hotel:  R$ 975,64
Diárias de hotel: 6
Preço médio das diárias: R$  162,61
Maior preço de diária: R$ 184,76 (Itatiaia/RJ)
Menor preço de diária: R$ 145,00 (Registro/SP)

Alimentação e outras bobagens:

Custo total: R$ 944,00
Custo total na ida: R$ 383,00
custo total na volta: R$ 560,00

Equipamentos na moto e eletrônicos:

- Bagageiro SW-Motech específico para F800R
- Bauleto Givi 46 litros
- Bolsa interna para o Bauleto com 42 litros
- Mala tanque Givi expansível
- Tomada 5V com 2 saídas USB no guidom
- Suporte para celular no guidom
- Conjunto de intercomunicadores Netphone V6
- Celulares com Google Maps e Booking
- Carregador de tomada com 4 saídas USB
- Elástico aranha

Ferramentas:

- Canivete de chaves Torx
- Canivete de chaves Allen
- Canivete múltiplo
- Scanner GS-911
- Chave de boca variável
- Mão de força pequena
- Soquetes 22 e 24 mm
- Tubo spray para conserto de pneus Motul
- 1 lâmpada farol reserva
- 1 lâmpada de freio reserva

Equipamentos piloto (eu):

- Capacete Zeus 813A
- Conjunto de macacão de couro 2 peças Texx
- Blusa 2a pele manga longa
- Bermuda para ciclismo com gel
- Luvas de couro cano longo Apex
- Botas para motociclismo Race Tech
- Conjunto de capa de chuva Pioneira com polainas
- Luvas de látex de serviços gerais (para sobrepor na chuva)

Equipamentos piloto 2 (meu filho):

- Capacete HJC CL-ST
- Jaqueta de Cordura ventilada Furious
- Calça de Cordura impermeável Ixon Climber
- Blusa 2a pele manga longa
- Bermuda para ciclismo com gel
- Luvas de couro cano longo Apex
- Botas para motociclismo Rafale
- Conjunto de capa de chuva Alba com polainas
- Luvas de látex de serviços gerais

Generalidades:

- Por preferência pessoal não economizei em hotel e alimentação. Escolhi hotéis o mais confortáveis possível com diária perto de R$ 150,00. Depois de 10 ou 11 horas sobre uma moto, enfrentando calor e/ou chuva, tudo que eu quero é um bom banho, uma cama confortável e boa comida.

- Todos os hotéis foram reservados pelo www.booking.com no mesmo dia usando o app deles no celular em alguma parada durante o trajeto.

- Quanto a restaurantes, no meio da estrada era na base do que aparecia na frente. À noite a gente compensava comendo bem de verdade. Os restaurantes do retorno foram mais sofisticados (restaurantes dos próprios hotéis em duas noites).

- Não tivemos qualquer defeito na moto em toda a viagem. Nem um pneu furado sequer.

- Um dos intercomunicadores Netphone V6 pifou no 2o dia e foi trocado em garantia pelo vendedor durante minha estadia em Porto Alegre. Na volta os dois funcionaram perfeitamente o tempo todo. Esses aparelhinhos revolucionam a experiência de andar de moto, permitindo conversa contínua entre piloto e garupa ou mesmo entre duas moto. Não viajo mais sem eles.

- Como a moto não deu defeito algum, não foi necessário utilizar qualquer das ferramentas, o scanner ou as lâmpadas de reserva. Mas eu gosto de estar preparado para pequenas contingências.





2 comentários:

  1. Show, eu ainda me sinto "cru" para pegar estrada dessa forma. Se estivesse com os mesmos equipamentos que vc levou, nao saberia usar quase nenhum....rsrsrss
    Esse produto spray para pneus, pode usar? Ouvi que como a moto tem sensor de pressao dos pneus, se usar produto neles pode danificar o sensor e causar pane na central...
    Acho muito interessante e quase comprei um intercomunicador, mas dois colegas tiveram serio acidente por causa deles. Na moto, a atençao é no minimo, dobrada do que no carro, o conversar com passageiro pode levar a perda da atençao em um segundo e ai.... um dos colegas a esposa estava na garupa e comecou a catucar ele porque ele nao respondia, e ai ele se "desligou" para dar aquela resposta de fica quietinha um pouco e veio um carro fez uma ultrapassagem no sentido contrario bem na frente dele, achando que ele iria para o acostamento, mas ele estava falando e quando deu conta...estao bem mas se machucaram... o outro conversando com amigo em outra moto, o papo tomou rumo gostoso e ele que estava mais a frente nao percebeu a carga de um caminhao soltando, quando viu ja estava em cima....o amigo conseguiu desviar e socorrer ele... enfim, eu me preocupo muito, ate porque minha parceira fala pelos cotovelos, e ai complica, vai dizer, agora nao da espera um trecho mais tranquilo pra gente conversar....o que que foi, o assunto de afetou foi, ta escondendo alguma coisa... rsrssrsrs mas sim, sendo bem usado, é um excelente acessório.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. PH, tudo se aprende... Essa foi minha 4a viagem dessa, muita coisa eu aprendi da primeira até essa. Muita coisa levei sem necessidade em viagens anteriores, muita coisa que não levava passei a levar. E é algo bem individual, por vezes o que é importante para mim (conjunto de ferramentas completo) pode parecer bobagem para outro.

      Sobre spray para pneus, eu levei ele como uma ferramenta para encher o pneu em caso de nwcessidade. Tinha um kit de macarrãozinho também para tapar o furo (aprendizado de outra viagem). Não sei se prejudica os sensores (acho que não), mas só tem sensor de pressão nas F800R de 2015 adiante, essa 2013 não tem.

      Sobre desatenção e intercomunicadores, não concordo. Fosse assim não daria para dirigir automóveis. Dá perfeitamente para manter uma conversação e pilotar com cuidado!

      Excluir