quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

4a Viagem a Porto Alegre de moto - volta, dia 4

Tem uma música gaúcha já clássica que diz que "quando é tempo de tosquia já clareia o dia com outro sabor". Nas viagens o último dia também é assim, mas de um jeito ruim - bate uma vontade de chegar logo, o cansaço se manifesta mais cedo, as dores parecem maiores que nos dias anteriores. E aí fica um grande desafio a gente não abusar da velocidade ou perder a atenção na pilotagem, ou ainda, não curtir direito a motocada.

Eu tento dar jeito nisso colocando umas estradinhas interessantes nesse dia também, para que além de apenas ir para casa a gente tenha ainda o que aproveitar do trajeto. Hoje tivemos no cardápio três trechinhos legais em sequência - de Petrópolis a Teresópolis (chamada Rota Romântica), de Teresópolis a Nova Friburgo (estrada Tere-Fri) e o trecho de Friburgo a Cordeiro, todos no alto da Serra Carioca.

Saímos de Itaipava ainda com uma neblinazinha de serra pelo ar. Passadas as encrencas do trecho urbano, a Rota Romântica se mostrou maravilhosa! Eu tinha passado nela no sentido contrário em outra viagem, e hoje, com Marcelo curtindo a pilotagem, eu pude apreciar mais da vista espetacular. A estrada corre o tempo todo pelo topo de serra entre as duas cidades, descortinando aqui e ali visuais muito legais dos vales abaixo. Enquanto eu olhava para todos os lados, Marcelo se divertia com as muitas curvas, também deliciosas!

O trecho seguinte, entre Teresópolis e Nova Friburgo, não tem um visual tão estonteante, mas tem melhor asfalto e boas curvas. Marcelo pilotou esse trecho também. Mas é no trecho depois de Friburgo que a motocada fica de responsa! A estrada fica mais larga, com menos movimento, e as curvas são de média-alta, do tipo que dá mais prazer numa moto como a minha! Eu estava pilotando e me diverti muito deitando a moto de um lado e de outro!

Depois de Cordeiro nós pegamos uma estrada passando em Euclidelândia e Itaocara. Foi uma má escolha minha, era melhor ter seguido pela BR-492 até perto de São Fidélis. A estrada não estava grande coisa, muitos buracos, comunidadezinhas, quebra-molas e praticamente nenhum visual relevante. De Itaocara fomos para Santo Antônio de Pádua pela BR-116 - essa em ótimo estado. Chegamos em Pádua e mal tínhamos acabado de abastecer caiu uma chuvarada. Dava para ver pelo céu que não ia durar, então ficamos no posto mesmo esperando a chuva passar. Levou uns 30 minutos, mas quando passou não voltou mais. Pelo contrário, abriu um baita sol em todo o resto da viagem.

Faltavam apenas 300km, então não teve mais jeito, entramos em modo "go home". Marcelo e eu apenas cuidamos de pilotar com atenção e sem fazer merda. É geralmente na saída ou na chegada que acontecem os acidentes e nenhum de nós queria nada sequer parecido. Viemos "pianinho" até chegar em casa.

No total, entre ida e volta nessa viagem percorremos 4890 km de moto. Foram 2401 indo, outro tanto voltando e um tanto de trajeto lá em POA. Foram muitas estradas legais, muitas paisagens bonitas, muitos lugarzinhos peculiares e muitas histórias para lembrar e contar!

Roteiro do último dia:


Rota Romântica de cima da moto!




Paisagem da região perto de Pádua - planícies do norte do Rio de Janeiro.



Essa ponte foi a última divisa de estado da viagem! De volta ao ES!


A primeira cidade capixaba do caminho - Apiacá.


Paisagens capixabas!


Home, home again! Cansados e felizes! Quase 5000 km de muita estrada e diversão.


Nenhum comentário:

Postar um comentário